Imprimir

FSM 2010 - Caminhada celebra a diversidade

Ligado . Publicado em Agenda & Eventos . Acessos: 1568

por Sucena Shkrada Resk

Os termômetros marcavam hoje (25/1), mais de 30 graus, e os participantes da caminhada oficial do Fórum Social Mundial 2010, não arredaram pé das ruas centrais de Porto Alegre. A concentração foi em frente ao mercado municipal, a partir das 15h, e teve como destino final, a Usina do Gasômetro, às margens do rio Guaiba, por volta das 19h. A pluralidade de reinvindicações marcou mais esta edição. Aos manifestantes se juntaram participantes da Marcha Estadual pela Liberdade Religiosa 2010, que comemoravam principalmente as expressões das religiões afro. Ao mesmo tempo, sindicalistas, sambistas, curiosos e artistas de rua interagiram nessa festa popular, que acabou em apresentações musicais, no decorrer da noite.

O ponto negativo, como se repete nesses encontros, se refere à educação da população, ao jogar o lixo nas ruas, o que não combina com a consciência ambiental, esperada num evento com esta temática. Com isso, os varredores tiveram bastante trabalho, num mutirão de limpeza que foi praticamente simultâneo ao evento. Por outro lado, centenas de participantes demonstravam em suas falas, faixas e palavras de ordem, que o que os movia era a necessidade de encontrar caminhos para um mundo melhor.

Nesse grupo eclético, tive a oportunidade de conversar com a presidente da Organização de Mulheres de São Joaquim (Chile), entidade criada em 1999, que hoje reúne cerca de 300 integrantes. "É a terceira vez que participo do FSM, é uma forma de intercâmbio", disse ela. Eva contou que o movimento nasceu como reação à fase ditatorial. "Hoje nossa luta é para combater as desigualdades sociais, que são muito intensas em nossa região", conta.

A entidade compartilha conhecimentos com o Centro de Assessoria e Estudos Urbanos, de Porto Alegre, que atua na formação de conselheiros do orçamento participativo, há 21 anos. "O nosso público-alvo são lideranças comunitárias principalmente femininas", diz a a socióloga Daniela Tolfo, que representa a instituição.

A presença desses cidadãos de diferentes partes do mundo, neste ato popular, funciona como um aquecimento para discussões mais sérias. Entre elas, justiça social, igualdade de gênero, direitos trabalhistas e defesa ambiental, que deverão ocorrer nos próximos dias. Amanhã, o destaque será o Seminário Internacional Conjuntura Mundial Hoje, em Porto Alegre, e o Terceiro Encontro Nacional de Agendas 21, em Gravataí.

Neste primeiro dia, entretanto, foi possível fazer comparações com a edição passada, em Belém, que registrou momentos ímpares da história do FSM, com um diferencial expressivo, com a atual. Na capital paraense, as minorias tiveram representatividade significativa. Aldalice Otterloo, representante da coordenação do FSM 2009, fez um balanço hoje do movimento, ao definir que uma de suas marcas foi a de estabelecer o caráter pan-amazônico. Ela reinvindicou que esta, como as próximas edições deem prosseguimento à defesa de direitos de índios, ribeirinhos, quilombolas, entre outros, que são o principal público-alvo, que gerou a concepção do fórum.




Fonte: Blog Cidadãos do Mundo .
.

ALERJ

DMC Firewall is a Joomla Security extension!