Imprimir

Jornais se unem para chamar atenção sobre alterações climáticas globais

Ligado . Publicado em Mudanças Climáticas . Acessos: 1468

midia1-ecod.jpgFoto: Ernst Moeksis/Flickr CCImprensa tem papel fundamental na conscientização sobre as mudanças climáticas e seus desdobramentos

Vinte e cinco organizações de mídia de diversos países, como Reino Unido, Espanha, Índia e China, irão se unir para compartilhar conteúdo sobre as alterações climáticas globais. Pelo acordo firmado entre elas, reportagens produzidas por uma poderão ser traduzidas e reproduzidas pelas outras, sem a aplicação de taxas sobre direitos autorais. A intenção da rede de jornais é aumentar a consciência mundial sobre o tema.

A iniciativa, batizada de Climate Publishers Network, é um esforço para pressionar diplomatas a elaborar um novo acordo global mais rigoroso durante a cúpula mundial da ONU sobre as mudanças climáticas, a ser realizada em dezembro de 2015, em Paris.

Acordos de compartilhamento de conteúdo entre editores não são exatamente raros, no entanto este se revela notável por duas razões: a liberdade de partilha de reportagens, que vai isentar os veículos de uma série de burocracias, e a pressão do jornal britânico The Guardian para que grandes investidores parem de aplicar capital em empresas de combustíveis fósseis.

Wolfgang Blau, diretor de estratégia digital do Guardian, acredita que as mudanças climáticas são um dos maiores desafios enfrentados pela humanidade atualmente

A iniciativa, aliás, é uma continuidade dos esforços do Guardian no que diz respeito à sustentabilidade do planeta. No início de 2015, o jornal lançou a campanha Keep In The Ground, uma parceria com a organização 350.org, também voltada à extinção dos investimentos de empresas do setor petroleiro.

Além das fronteiras 
Em comunicado coletivo, Alan Rusbridger, editor-chefe do Guardian, Antonio Cano, editor do espanhol El Pais, e Ricardo Kirschbaum, presidente da Global Editors Network, disseram esperar sinceramente que as publicações ultrapassem o espectro político e participem ativamente da iniciativa, tanto utilizando o material fornecido quanto cedendo reportagens.

Wolfgang Blau, diretor de estratégia digital do Guardian, acredita que as mudanças climáticas são um dos maiores desafios enfrentados pela humanidade atualmente e que, justamente por isso, o assunto exige novas formas de colaboração, ultrapassando fronteiras geográficas e políticas.

Os jornais fundadores do projeto são:
The Age, da Austrália; Al Ahram, do Egito; o chinês China Daily; o argentino Clarín; Der Standard, da Áustria; De Standaard, da Bélgica; o peruano El Comercio; El Deber, da Bolívia; El País, da Espanha; o argelino El Watan; o alemão Frankfurter Allgemeine Zeitung; a Gazeta Wyborcza, da Polônia; o britânico The Guardian; o indiano India Today; The Irish Times, da Irlanda; La Presse, do Canadá; La Repubblica, da Itália; o francês Le Monde; Le Quotidien de Nouakchott, da Mauritânia; Politiken, da Dinamarca; The Seattle Times, dos EUA; The Straits Times, de Cingapura; Stuff, da Nova Zelândia; o australiano The Sydney Morning Herald; e To Vima, da Grécia.

(Via Observatório da Imprensa)


Fonte: EcoD.

ALERJ

Our website is protected by DMC Firewall!