Imprimir

De volta aos manguezais

Ligado . Publicado em Arthur Soffiati . Acessos: 1815

9603por Thaís Tostes

O ambientalista Aristides Soffiati lançará a segunda edição do seu livro “Os manguezais do sul do Espírito Santo e do norte do Rio de Janeiro”, nesta terça-feira (28), no campus Rio Paraíba do Sul/Upea, do Instituto Federal Fluminense, o IFF. O lançamento da produção literária está agendado para começar às 16h e acontecerá dentro do “4º Seminário Regional sobre Gestão dos Recursos Hídricos” (SRHIDRO), que começa terça e vai até quinta-feira (30).

A edição foi produzida pela Essentia, grupo editorial do IFF, que também fará a exposição de outras obras. “Os manguezais...” é um trabalho de história ambiental, feito com base em material coletado para a tese de doutorado do ambientalista.

— Fiz um esboço pra minha tese, depois ampliei e dessa ampliação veio a edição de 2009. O esboço, que eu guardei, é a base do livro. Este livro não é um livro para especialistas na área ambiental, e sim uma obra voltada para o público leigo. É um livro com linguagem acessível, que vem complementar o conhecimento de estudantes de ensino médio e universidade, mas isso não significa que especialistas também não possam se munir desse conhecimento. Esta edição vem com artigos e entrevistas novos — comentou o autor.

O lançamento de terça não é o lançamento oficial, que está agendado para acontecer em fevereiro de 2015. Esta segunda edição do livro possui mais de 200 páginas e é ilustrada — com imagens em cores. Soffiati comentou que, de 2009 até 2014, muita pesquisa sobre os manguezais foi feita, principalmente os maiores manguezais da região, que ficam vinculados aos rios Das Ostras, São João, Paraíba do Sul, Guaxindiba, Itabapoana e Beneventes. A nova edição vem com essa pesquisa, que não entrou na primeira; é uma edição ampliada, revisada e com formato interno diferente. “Esta edição me custou muito trabalho. Eu li o livro três vezes para produzir esse novo livro”, adicionou.

O livro apresenta uma pesquisa dos manguezais que vão desde o Rio Jucú, localizado perto de Vitória-ES, até a Região dos Lagos. Soffiati faz uma análise histórico-ambiental dessa área, interligando várias áreas de conhecimento, como, por exemplo, a biologia e a sociologia, mostrando que as coisas estão interligadas e que existe uma diversidade na unidade.

— Entendo que essa ideia de estudar só os manguezais, em si, seria algo mais voltado para especialistas. Como esse tipo de pesquisa eu considero um estudo de história ambiental, ampliei essa pesquisa e contextualizei o ambiente físico ecológico com o ambiente social, por exemplo — explicou.

A pesquisa de Soffiati apresenta a unidade dentro da qual está a diversidade dos campos geológico, hídrico, botânico, faunístico, cultural e até mesmo econômico. O autor analisa a transformação dos manguezais com base em suas relações de equilíbrio e de desequilíbrio, num período de um século.

Ecorregião de São Tomé é área pequisada no livro

De acordo com Aristides Soffiati, a área pesquisada e que é abordada em seu livro é chamada Ecorregião de São Tomé. Ecorregião, por se tratar de uma região ecológica, e “de São Tomé” porque o ponto geográfico que divide a região em duas partes é o Cabo de São Tomé, além do fato de a primeira tentativa de colonização portuguesa, nesta região, foi feita pela Capitania de São Tomé.

— Há muita unidade, em todos os setores, embora haja diversidade. Acho que este livro é paradidático. Tem literatura dentro dele, à medida que eu abordo os literatos que examinaram os manguezais da região e que estão sendo esquecidos, como, por exemplo, José Candido de Carvalho, Osório Peixoto e Alberto Lamego. Estes são autores antigos que já faziam pesquisa. O cientista tem essa coisa de que ninguém, antes, pesquisou o que ele está pesquisando — afirmou.

O autor — Aristides Arthur Soffiati é professor aposentado do pólo Campos da Universidade Federal Fluminense, a UFF-Campos, e pesquisador vinculado ao Núcleo de Estudos Socioambientais da mesma universidade. Ele carrega no currículo dez livros publicados, sendo a maioria deles sobre temas ambientais, e diversos capítulos de livros e artigos científicos. Soffiati escreve para jornais desde 1975 e é articulista ativo da Folha da Manhã.

Além das duas edições de “Os manguezais do sul do Espírito Santo e do norte do Rio de Janeiro”, levam o selo da Essentia Editora outras duas produções de Soffiati: “Mínima Poética” e “As lagoas do Norte Fluminense”.


Fonte: Folha da Manhã Online.


{fcomment id = 9603} {jcomments off}

ALERJ

DMC Firewall is a Joomla Security extension!