Imprimir

USP adota 'dia sem carne' e estima economizar 14 toneladas por ano

Ligado . Publicado em Animais . Acessos: 1916

Restaurante da USP em Piracicaba aderiu ao dia sem carne (Foto: Erlin Schmidt/EPTV)

Projeto começou esta semana no campus da universidade em Piracicaba.
Também devem ser poupados 140,3 milhões de litros água sem o preparo.

Piracicaba e Região - A Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), campus da USP em Piracicaba (SP), lançou nesta semana o projeto “Um Dia Sem Carne” no Restaurante Universitário, que propõe um cardápio sem o alimento uma vez por semana. Com a adesão à proposta, a estimativa é que haja uma economia anual superior a 14 toneladas de carne, além de poupar 140,3 milhões de litros de água geralmente utilizada para a produção de carne bovina, suína e frango.

A iniciativa, que tem o objetivo de conscientizar as pessoas quanto ao consumo exagerado e ao desperdício, é baseada na campanha "Segunda Sem Carne", praticada em 35 países como Estados Unidos e Reino Unido. No Brasil, foi lançada em 2009, em São Paulo, em parceria com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB) e Secretaria do Verde e Meio Ambiente (SVMA).

Ideia é reduzir o consumo de carne e estimular a reflexão sobre excessos (Foto: Erlin Schmidt/EPTV)Segundo a educadora do USP Recicla, Ana Meira, a campanha baseia-se em uma iniciativa de conservação do meio ambiente. “Só no almoço, a quantidade de carne ingerida por pessoa, no restaurante universitário, é de aproximadamente 200g, sendo que o recomendado pelo Ministério da Saúde é de apenas uma porção por dia, o que varia de 90 a 100g, dependendo do tipo de carne”, afirmou.

A educadora ressaltou ainda que a implantação do projeto na Esalq foi realizada depois de uma pesquisa com a comunidade e do esclarecimento sobre as motivações da prática, que estão relacionadas à preocupação com o ambiente, saúde e vida.

“Ao todo, 602 pessoas participaram da pesquisa e responderam ao nosso questionário, sendo a grande maioria alunos de graduação e pós. A pesquisa atingiu também docentes e funcionários, e 72% da comunidade se colocou a favor da iniciativa do dia sem carne”, falou Ana.

Na cozinha

O trabalho de conscientização começou na cozinha. Os funcionários aprenderam novas receitas e acabaram gostando da ideia, afinal, são eles que provam a comida primeiro. “Faz 21 anos que eu cozinho aqui e sou viciada em carne. Mas achei ótimo, está uma delícia”, relatou a cozinheira Maria José da Silva.

O cardápio vegetariano inclui escondidinho de brócolis, estrogonofe de berinjela, estrogonofe vegetariano, quibe de berinjela, ratattouille, tortas de legumes, entre outros. O dia sem carne não será fixo e em cada semana ocorrerá em dias alternados.

“Mais importante do que a mudança de cardápio, é estimular o cuidado com a saúde e com o meio ambiente. E que isso se reflita na sensibilização da comunidade, na mudança de atitude e na adoção de novos hábitos”, concluiu Ana.


Fonte: G1 Piracicaba e Região.

ALERJ

DMC Firewall is a Joomla Security extension!